Mãozinha amiga…

21 Dezembro, 2006

No meu post do dia 13 exaltei a mãozinha dada ao Firefox 2.0 pelo Google. Nesse mesmo post deixei uma pergunta no ar. Seria possível a Microsoft conseguir a mesma ação realizada pelo Firefox no site do Google?

Ontem tive uma resposta para essa dúvida, achava que era praticamente impossível a Microsoft desfrutar do ambiente Google para se promover. Estava certo, mas em contra partida havia me esquecido do Yahoo!. Assim como existe uma grande empatia entre Google e Firefox a recíproca é verdadeira quando pensamos em Microsoft e Yahoo!

Dito e feito, ontem ao acessar o Yahoo!, para executar uma pesquisa, tive a grande surpresa. Dessa vez o evento aconteceu no meu próprio browser. Lá estava o banner, no mesmo formato e com os mesmos dizeres daquele veiculado no Google.

Só que o anunciante era outro, o Internet Explorer 7, da Microsoft. Também foi uma campanha limitada, só consegui reproduzir uma única vez no browser do trabalho, quando cheguei em casa não apareceu o banner no meu browser.

Dessa forma a Microsoft, apesar de não ter sido nada original, conseguiu minimizar seu prejuízo e, acima de tudo, demonstrou ao mercado que se o Google é parceiro do Firefox, a Yahoo! e a Microsoft desfrutam de uma parceria muito mais antiga.

Com certeza esse duelo não acabará por aqui, de quem será o próximo golpe?

yahoo
Clique na imagem para amplia-la

Anúncios

Google e Yahoo! anunciam as buscas mais populares de 2006

20 Dezembro, 2006

Foram anunciados ontem, os resultados do Google Zeitgeist e do Yahoo! Top Searches, do ano de 2006.

O relatório do Google, o Zeitgeist, exibe listas e gráficos dos termos de buscas mais populares e aqueles que tiveram um crescimento mais acelerado dentro do Google.com. Já o Yahoo! Top Searches traz uma lista dos resultados do ano categorizados por temas, um pouco diferentes do Google. O Yahoo! disponibiliza as fotos mais buscadas ao longo de 2006 e, as buscas feitas nos principais países de atuação da empresa. No relatório do Yahoo!, também está presente uma versão que exibe mês a mês da evolução de suas buscas

A lista de termos genéricos mais procurados no Google reflete a tendência de crescimento da Web 2.0, não é de se espantar que os sites colaborativos, como Bebo, MySpace e Wikipedia, tenham sido alguns dos mais buscados em 2006. No Yahoo! foram as celebridades, encabeçada por Britney Spears, que dominaram as buscas, dos dez termos mais procurados nove são nomes de celebridades.

A discrepância entre os resultados dos dois maiores concorrentes, entre as ferramentas de buscas, continua demonstrando a grande diferença existente no foco das duas empresas. O Yahoo!, com um foco mais editorial, desperta maior interesse entre os usuários que buscam temas sociais; filmes, programas de TV, Times, letras de músicas, políticos e claro as celebridades. No Google, onde o foco é bastante diferente – mais automatizado -, o usuário procura por temas que estão em evidência em um determinado período do ano (veja gráfico abaixo) ou por definições mais genéricas. Ambos relatórios trazem, também, uma lista das notícias mais buscadas.

googlezeit

Os interessados em relembrar os maiores escândalos do ano, os casamentos, divórcios, nascimentos e óbitos mais populares ou qual esporte, político ou assunto que mais se destacaram ao longo do ano, deve visitar o site do Zeitgest e o Top Searches para ler tudo sobre a curiosidade coletiva em 2006.


Curtas…

15 Dezembro, 2006

Google lança busca para patentes americanas – Estreou ontem (14/12/2006)  a versão beta da nova ferramenta de busca da Google. O Google Patent Search permite ao usuário pesquisar mais de 7 milhões de patentes americanas emitidas pelo Departamento americano de Patentes e Marcas Registradas desde o ano de 1790.


Vodka.com – Foi comprado ontem – por um bilionário russo, proprietário da maior fabricante de vodca daquele país – o domínio www.vodka.com pelo valor de 3 milhões de dólares.

A aquisição do domínio faz parte da estratégia de expansão da empresa para o mercado norte-americano. O preço pago está entre os maiores já revelados em negociações de endereços genéricos da web.

Negócios milionários, envolvendo domínios, não são mais novidade na rede. Esse ano, o diamond.com foi vendido por US$ 7,5 milhões, em maio, para a rede de varejo de jóias Ice.com. O business.com foi vendido pela mesma quantia em 1999. Especula-se que o sex.com foi vendido por US$ 12 milhões para uma companhia norte-americana sediada em Boston chamada Escom.


Microsoft contra a pirataria – A consultoria IDC, que divulgou nesta semana algumas tendências tecnológicas para 2007, afirma que a guerra da Microsoft contra a pirataria pode fazer com que os usuários migrem para o sistema operacional Linux. A iniciativa do Windows Genuine Advantage (WGA) que restringe o acesso de funcionalidades para os softwares que não são originais está desmotivado os usuários a utilizarem o Windows.


Turbine seu PC se pretender usar o Office 2007 – Não é qualquer usuário que poderá usufruir o novo pacote Office 2007 da Microsoft. Encontrei no UOL Tecnologia uma matéria bastante completa sobre o novo software. Confesso que fiquei bastante surpreso quando li a parte de recomendações de configuração do hardware. O mínimo oficial exigido pela Microsoft de memória RAM é de 256MB, mas é desaconselhável migrar com menos de 512MB. Alguns dos novos recursos do Office, como a “correção contextual de ortografia”, exige nada menos que 1 GB de RAM para rodar bem.

O Office 2007 pode ser instalado apenas no Windows Vista, Windows XP (com Service Pack 2) e Windows Server 2003. As opções de personalizar a instalação são as mínimas possíveis. Diferentemente das versões anteriores do Office, agora são pouquíssimas coisas que podem ser deixadas de lado. Há casos notórios, como Powerpoint e Word, que exigem a instalação do programa com todos os adicionais, mesmo que você não use a maioria dos recursos. Mesmo instalando apenas o básico para usar no escritório, o Office 2007 tem proporções gigantescas: ocupa 1,5 GB de espaço em disco, em média. Para ter uma idéia, o Office 2003 ocupa até 500 MB de espaço, o que já é considerado bastante. A versão mais recente do Open Office, concorrente gratuito, ocupa 250 MB.

É possível instalar o Office 2007 do zero ou fazer o upgrade de versões pré-existentes. No upgrade, você tem a opção de conservar versões antigas de programas específicos. É uma boa pedida, para quem quiser manter duas versões diferentes do Word, por exemplo. A única exceção é o Outlook, que aceita apenas uma única versão instalada.

No mais o software trás diversas inovações e, deixa de lado toda a experiência de uso e interface do usuário que está acostumado com as versões anteriores. Ou seja, além de turbinar a sua máquina você deverá esquecer tudo que aprendeu nas versões anteriores e estudar tudo de novo.


Dois milhões de habitantes – A Linden Labs, empresa responsável pelo mundo virtual Second Life anunciou nesta quinta que o jogo interativo 3D chegou ao 2º milhão de usuários, menos de dois meses depois de ter atingido a marca de 1 milhão de contas.

Contudo, nem todos se tornam usuários ativos, já que muitas pessoas apenas entram no game multiplayer por curiosidade, para conhecer a sua interface e experimentar um passeio nos cenários 3D. (fonte: Estadão On-line)


Quase dois irmãos ?

13 Dezembro, 2006

Não é nenhuma novidade a “grande amizade” entre a Google e o Firefox, mas dessa vez a promoção superou todos os parâmetros já vistos e imaginados. Lendo o blog de John Battelle me deparei com a notícia que a gigante está anunciando o browser – Firefox – de uma forma um tanto quanto agressiva (veja a imagem abaixo).

Um banner – isso mesmo um banner no Google -, nas dimensões que superam as tradicionais, exibindo a seguinte frase:  “Google recommends upgrading to the new, safer Firefox 2.0. Get it now!” Sinceramente, não consegui reproduzir essa situação no meu browser, mesmo apertando centenas de vezes o F5 do meu teclado. Corre pelos blogs da Internet que é uma produção limitada, exibida aleatoriamente.

A pergunta que faço é a seguinte: Será que existe alguma quantia nesse mundo que a Microsoft possa pagar por uma ação desse tipo no site mais acessado da internet? A quantia pode até existir, a Microsoft deve certamente dispor da verba para isso, contudo a grande dúvida é; será que a Google aceitaria a proposta?

Creio que  esse tenha sido um belo ataque à empresa de Bill Gates. E faço minha aposta, em 2007 a Google arrematará o Firefox no mesmo estilo que arrematou o YouTube. Basta apenas especular quantos bilhões de dólares a empresa está disposta a desembolsar.

Enquanto isso a Google vai engordando seu boi e, o Firefox aumentando seu market share.


Google Behind The Screen.

7 Dezembro, 2006

Aproveitando minha onda googleniana segue a dica do documentário, lançado em Julho de 2006.  Dividido em cinco capítulos de aproximadamente 10 minutos cada – disponível no Youtube – o filme é muito bem produzido e dirigido. Muitos detalhes tanto sobre a visão de negócios quanto ao funcionamento técnico da empresa e suas ferramentas são relatados por funcionários e executivos de alto nível hierárquico.

Não se trata de um documentário parcial, tendencioso ou institucional. Renomados especialistas também são questionados sobre assuntos como: a possível manipulação nos resultados orgânicos da busca, privacidade, direitos autorais, inclusão digital, monopólio e outros tópicos que o mercado questiona ou especula em relação à Google.

Aos que ainda não assistiram vale muito a pena dar uma conferida.

1. http://www.youtube.com/watch?v=Pil5zsy9yqI
2. http://www.youtube.com/watch?v=_M1IQEtFsrU
3. http://www.youtube.com/watch?v=_mNkZvFtOU8
4. http://www.youtube.com/watch?v=5IDTXlJqMtA
5. http://www.youtube.com/watch?v=uHgpDqPPFHo


A Fantástica Fábrica de Soluções On-line.

5 Dezembro, 2006

Qualquer um que tenha acessado a Internet cetamente utilizou o mais famoso site de busca da rede: o Google. Mas será que todos sabem que a Google possui mais de cinqüenta ferramentas para os mais diversos fins? 

Essa gigante da indústria Web esta cada vez mais diversificando suas atividades, a maior parte de suas ferramentas tem a busca como pano de fundo – ou de frente – mas, atualmente, a empresa ataca também com ferramentas de relacionamento e produtividade. Claro, o modelo de receita é – sempre – baseado nos seus famosos e poderosos AdWords e AdSense (publicidade) e os serviços oferecidos são gratuítos ao usuário.

Assim, o apelo para atrair audiência é muito grande e a simbiose entre anunciantes e usuários é completa. Ganha o anunciante por utilizar um veículo tão acessado, diversificado e abrangente e ganha, também, o usuário por dispor de tantas ferramentas de qualidade e de graça.

A seguir a lista completa de todos os produtos da indústria Google.

  • Add to Google permite aos editores de sites criarem botões customizados  “Add to Google” para a inclusão do seu RSS – feeds – nas páginas personalizadas do Google (Reader ou Homepage), a partir do prórpio site do editor. Veja o exemplo na barra lateral desse site no box “Feed-se”. A ferramenta gera um código HTML que deve ser colado no site do editor. Dessa forma seus usuários poderão incluir seu RSS em um clique.

  • Blogger é a ferramenta de Blog, muito popular por ser um serviço gratuíto e de fácil utilização para usuário leigos ou iniciantes.

  • Froogle é uma ferramenta de busca que funciona para procurar o menor preço de algum produto.

  • GMail (ou Google Mail) é o serviço de e-mail gratuíto que oferece mais de 2GB de armazenamento para seu usuário.

  • Google AdSense é o serviço de publicidade contextual, utilizado por milhões de websites, onde editores podem veicular anúncios do AdWords em seu prórpio site. Também foi lançado o Onsite Advertiser Sign-Up – em 21 de novembro de 2005 – que permite que anunciantes comprem espaços publicitários em diversos sites a partir do site do Google.

  • Google AdWords é o outro lado do AdSense. Enquanto o AdSense permite aos editores veicularem publicidade, o AdWords permite que anunciantes comprem esse espaço e conectem sua empresa aos sites associados e ao prórpio Google.

  • Google Agenda (Calendar)  como o próprio nome diz é a ferramenta para genreciar compromissos. Com diversas funcionalidades, permite também convidar pessoas para participar dos compromissos agendados.

  • Google Alerts é um alerta via e-mail para buscas que o usuário tenha feito no Google. Muito utilizado para monitorar websites ou notícias.

  • Google Analytics rastreia qualquer site e disponibiliza dados estatísticos ao editor, exibe os dados em Javascript. Excelente ferramenta para webmasters que desejem acompanhar o desempenho de seu site em diversos atributos.

  • Google Answers permite que os usuários publiquem perguntas para outros usuários procurarem por suas dúvidas e responderem as questões. Possibilita a criação de negócios a partir de uma dúvida comercial de algum usuário.

  • Google Base é uma biblioteca onde todos os usuários podem fazer upload de qualquer tipo de arquivos (ou mídia). Uma tentativa da Google em tornar real o “EPIC” e “Google Grid” mencionados neste vídeo.

  • Google Blog Search funciona como a tradicional ferramenta de busca da empresa, contudo efetua as buscas apenas em blogs.

  • Google Book Search efetua buscas por livros cadastrados na base de dados da Google.

  • Google Catalogs é uma ferramenta de busca para catálogos de entregas por correspondência.

  • Google Click-to-Call permite que o usuário ligue diretamente para um anunciante a partir do resultado da busca ou links patrocinados. A ligação é paga pela Google e devem ser feitas a partir do Google Talk.

  • Google Code ferramenta de busca que procura códigos livres – Open Source.

  • Google Compute é uma ferramenta integrada ao Google Toolbar e Desktop que trabalha quando o computador esta ocioso. Utilizada para distribuir dados à projetos computacionais como o Folding@Home.

  • Google Deskbar barra de ferramentas (lateral) da Google que funciona diretamente a partir do Desktop (área de trabalho). Permite realizar buscas sem a necessidade de acessar o site além de disponibilizar diversos atalhos, widgets, agregador de feeds, previsão meteorológica e outras facilidades ao usuário.

  • Google Desktop ferramenta de busca para buscas internas, dentro da prórpia máquina do usuário.

  • Google Directory permite uma busca por categorias de sites, da mesma forma que o Yahoo! permite em seu site.

  • Google Docs similar ao MS Office, gratuíto e on-line.

  • Google Earth aplicação desktop (software) que permite ao usuário navegar pelo mundo detalhadamente através de fotografias de altissima resolução.

  • Google Finance ferramenta para usuários que operam no mercado financeiro, disponibiliza gráficos, cotações, perfil dos administradores de cada empresa, notícias, discussões e até posts de blogs integrados.

  • Google Groups ferramenta para a criação de grupos de usuários com diversas funcionalidades tais como: grupo de e-mail, Usenet e outras ações colaborativas para compartilhar assuntos de interesse comum ao grupo.

  • Google Homepage é uma webpage onde o usuário pode adicionar diversos widgets como, previsão do tempo, notícias, horóscopo, feeds e outras centenas de funcionalidades. Funciona como o Netvibes e MyYahoo!.

  • Google Image Search é o serviço da Google para busca de imagens.

  • Google Labs disponibiliza todos os projetos que a Google esta trabalhando para futuros lançamentos.

  • Google Local combina as informações do Google Maps com informações de negócios locais. Excelente para procurar atividades comerciais em determinadas áreas.

  • Google Maps serviço de mapas que, também, disponibiliza informações para motoristas que desejem se transportar de/para diversas localidades exibindo o melhor caminho à seguir. O serviço esta disponível apenas para poucos países, contudo existe a previsão de uma expansão global para o futuro que abrangerá qualquer localidade do planeta. O Google Maps  também permite que desenvolvedores utilizem sua plataforma para desenvolver suas próprias aplicações através de APIs.

  • Google Mini servidor da Google para pequenas, médias e grandes empresas. Possui a ferramenta de busca instalada para 300.000 a 1,5 milhões de documentos. seu preço varia de US$ 2.000 à US$ 50.000 com suporte e atualizações grátis por dois anos.

  • Google Mobile similar ao Google SMS, mas utiliza a tecnologia WAP.

  • Google Movie Showtimes permite que o usuário digite o CEP ou endereço e o sistema encontra cinemas e/ou filmes nas áreas mais próximas. Disponível apenas nos EUA e Canadá.

  • Google News portal de notícias, busca notícias nos principais veículos do mundo. Tudo é feito por um algoritmo, não existe interação humana (editorial) com o sistema.

  • Google Reader é um novo produto, leitor web de RSS. Também conhecido como agregador.

  • Google Ridefinder permite que o usuário localize facilmente pontos de taxi em algumas das maiores cidades americanas.

  • Google Scholar buscas por teses, monografias e qualquer tipo de informação acadêmica publicada na web.

  • Google Search History é um serviço do Google que registra todo o histórico de buscas do usuário logado. O usuário depois pode consultar seu histórico, assim como a Google pode utilizar os históricos para pesquisas demográficas, comerciais e de hábitos do usuário.

  • Google Send to Phone plugin para Firefox que permite o envio de mensagens de texto para celulares via SMS.

  • Google Sitemap ajuda a criação de mapa de sites. Muito útil para webmasters verificarem e indexarem seus sites ou observar quais sites estão linkados ao seu.

  • Google SMS permite ao usuário acessar diversos serviços do Google através do celular, a partir de uma mensagem de texto. Disponível apenas nos EUA.

  • Google Spreadsheet similar ao Ms Excel, gratuíto e on-line.

  • Google Store não é um serviço, mas permite ao usuário comprar diversos objetos de merchandising da Google a partir do seu ponto de venda on-line.

  • Google Suggest uma extensão da tradicional ferramenta de busca. Mas contém um “autocomplete” facilitando a busca do usuário, dessa forma o usuário pode inserir termos incompletos que o sistema identifica a relevância e auto-completa o termo ou sugere um refinamento na busca executada.Também existe um plugin para Firefox.

  • Google Talk é a ferramenta de IM (Instant Message) e VoIP (Voz sobre IP) que roda localmente na máquina do usuário. É necessário ter uma conta no Gmail para utilizar esse software.

  • Google Toolbar uma barra instalada no Internet Explorer ou Firefox, permite buscar diretamente sem a necessidade de acessar o site, inserir atalhos e índices do PageRank da página que esta sendo acessada entre outras funcionalidades.

  • Google Language Tools ferramenta de tradução on-line via web.

  • Google Video e Google Video Upload similar ao YouTube, site para upload e exibição de videos.

  • Google Web Accelerator supostamente auxilia o acesso mais rápido a sites, contudo a aplicação ignora algumas normas de segurança e privacidade.

  • Google Web Search ferramenta que originou a industria Google. Efetua buscas na web além de possuir funcionalidades como: calculadora, definições de termos, informações de viagem e muito mais a partir de uma simples busca. Possui também uma Busca Avançada, mais precisa,  para usuários mais experientes.

  • Hello pequena ferramenta de IM que opera em conjunto com o Picasa para compartilhar fotos com amigos e família.

  • Orkut site de relacionamento altamente difundido, principlamente no Brasil.

  • Picasa organizador digital, on-line, de fotos. Opera a partir do desktop.

  • YouTube recentemente adquirido pela Google é o maior site de armazenamento e exibição de vídeos da Internet.

Faltou algum produto ? Então diga qual…


Eles vão conquistar o mundo (da publicidade)? Parte II

16 Novembro, 2006

A democratização publicitária promovida pela Google é um exemplo que deveria ser seguido por outros players do mercado on-line e off-line. O modelo de links patrocinados implantado a partir do AdWords é uma lição ao mercado, provando que pequenos anúnciantes também podem gerar lucros extraordinários. Dessa forma, cai o paradigma que apenas grandes empresas podem bancar o preço para divulgar sua marca e produtos.

O conceito do AdWords já pegou na Internet, milhares de pequenas empresas atualmente podem divulgar sua marca, ofertas e produtos de forma altamente segmentada, relevante e com um retorno muito elevado. Minimizando o desperdício habitual das mídias convencionais, onde a publicidade é paga sendo vista ou não. Com os links patrocinados o anunciante paga apenas pela publicidade clicada, nada mais justo.

A Google pretende, a partir de agora, expandir o AdWords para anúncios off-line, sua intenção é: tornar-se um canal único para seus anunciantes, onde esses possam promover seus produtos e marca em qualquer meio. Sim, o publico-alvo são pequenos anunciantes. O projeto piloto será desenvolvido nos jornais The New York Times e no Washington Post com 100 anúncios. Durante o projeto piloto a Google não terá participação alguma nos lucros gerados por esses anúncios.

Sinceramente, é uma maravilha perceber a democratização que a Google esta desencadeando dentro do mercado publicitário, tornando em realidade o sonho do pequeno empresário que possui um “budget” limitado para ações publicitárias. Será por ai a conquista do mercado, será no melhor estilo da união faz a força. E será assim que a Google se tornará, dia após dia, uma empresa cada vez mais consistente e poderosa, rumo ao domínio de um mercado estigmatizado desde a sua criação, o mercado publicitário.